Obras Básicas

As Obras Básicas, em resumo, expõem e consolidam os princípios e os elementos constitutivos da Doutrina Espírita, em sua totalidade, segundo o ensino dos Espíritos, a sistematização e a codificação desses ensinos por Allan Kardec.

As obras básicas são:


le1º) O Livro dos Espíritos (1857) –
lançado em Paris, França, em 1ª edição, aos 18 de Abril de 1857, sob o título de “Le Livre des Esprits”.

“Princípios da Doutrina Espírita sobre a imortalidade da alma, a natureza dos Espíritos e suas relações com os homens, as leis morais, a vida presente, a vida futura e o porvir da humanidade”.

Princípios abordados em 4 partes:

1. Das causas primárias;

2. Do mundo espírita ou mundo dos espíritos;

3. Das leis morais;

4. Das esperanças e consolações.

O livro dos Espíritos começa pela definição de Deus, aponta Jesus como o modelo humano, da importância as inúmeras questões atinentes ao modo de vida que levaremos após deixarmos o corpo físico, as relações dos espíritos entre si e com os encarnados, a reencarnação, as ocupações dos espíritos, a hierarquia existente entre eles, etc., e termina tratando das leis morais, da lei religiosa de adoração, e das penas e gozos futuros. Essa obra enquadra-se numa das formas mais livres da tradição filosófica: o diálogo.

2015-03-06-11-03-1518_tb2º) O Livro dos Médiuns (1861) – 1ª edição em Paris, França, 1ª quinzena de Janeiro de 1861. Título Original em francês: “Le Livre des Médiums ou Guide des Médiums et des Evocateurs”.

“Ensino especial dos Espíritos sobre a teoria de todos os gêneros de manifestações, os meios de comunicação com o mundo invisível, o desenvolvimento da mediunidade, as dificuldades e os tropeços que se podem encontrar na prática do Espiritismo”.

Esses temas acham-se expostos em 2 partes:

1. Noções preliminares;

2. Das manifestações espíritas.

A parte experimental do espiritismo está contida no livro dos Médiuns . Nesta obra Kardec dá ênfase ao perispírito, elemento indispensável para a explicação da mediunidade, e faz também um relato da evolução dos processos de comunicação com os espíritos, desde as mesas girantes até à psicografia, ou seja, a escrita através da mão do médium.

Evangelho-segundo-o-Espiritismo-O-FEB-edição-comemorativa-dos-150-anos-1864-2014-paint-288x3943º) O Evangelho Segundo o Espiritismo (1864) – 1ª edição em Paris, França, em abril de 1864, sob o título “L´ Evangile Selon le Spiritisme”.

“A explicação das máximas morais do Cristo em concordância com o Espiritismo e suas aplicações as diversas circunstâncias da vida”.

O seu estudo se desdobra em uma introdução e vinte e oito capítulos. A Doutrina Espírita, como ciência e como filosofia, esclarece os grandes enigmas da vida, dentro de princípios lógicos. Através dela ficamos a saber o que somos, de onde viemos, que fazemos aqui, para onde iremos após a morte do corpo físico e como respondemos pelo comportamento mau ou bom que aqui tivermos, desde já ou no futuro.

ceuInfernoBlue_54º) O Céu e o Inferno (1865) – tem como subtítulo A Justiça Divina Segundo o Espiritismo – lançado em Paris, França, 1ª edição em 1º de Agosto de 1865 – Título do original em francês: “Le Ciel et L´ Enfer ou La Justice Divine Selon le Spiritisme”.

“Exame comparado das doutrinas sobre a passagem da vida corporal à vida espiritual, sobre as penalidades e recompensas futuras, sobre os anjos e demônios, sobre as penas, etc., seguido de numerosos exemplos acerca da situação real da alma durante e depois da morte”.

Sua matéria desdobra-se da seguinte forma:

1. Doutrina;

2. Exemplos.

Kardec caracteriza o céu e o inferno, não como lugares de gozos perenes e improdutivos ou de sofrimentos atrozes, que nunca terminam, mas racionalmente, como estados de consciência que o próprio Espírito cria e nos quais vive, seja quando respeita as leis naturais, e, por isso, tem tranqüilidade, é feliz, seja quando transgredindo-as, torna-se inseguro, considera-se desditoso e se vê, por toda parte e a todas as horas, angustiado, acicatado pelo remorso, triste.

geneseBolsoFeb_25º) A Gênese (1868), Os Milagres e as Predições Segundo o Espiritismo –1ª edição em Paris, França, em Janeiro de 1868, sob o título “La Genése, Les Miracles et les Prédictions Selon le Spiritisme”.

“A Doutrina Espírita há resultado do ensino coletivo e concordante dos Espíritos. A Ciência é chamada a constituir a Gênese de acordo com as leis da Natureza. Deus prova a sua grandeza e seu poder pela imutabilidade das suas leis e não pela ab-rogação delas. Para Deus, o passado e o futuro são o presente”.

Esta obra se divide nas seguintes partes:

1. Introdução;

2. A Gênese;

3. Os Milagres;

4. As Predições.

O ensino de Kardec, exposto em “A Gênese”, referente às Três Revelações e que constitui excelente estudo de suas características, mostra que a moisaica é despótica (impunha-se pela força e pelo medo), a cristã é conselheira (Jesus mostrava sempre a necessidade de obediência às leis de Deus), sendo ambas, entretanto parte de um todo em processo de esclarecimento progressivo. Quanto à revelação espírita, demonstra ele que ela é científica (adapta-se às pesquisas e métodos da Ciência em busca do conhecimento, Ciência que ela, por sua vez, ilumina e esclarece) e filosofia (ditada diretamente pelos Espíritos do Senhor, seus Mensageiros e intérpretes), e, ainda, coletiva (originada do ensino de muitos Espíritos) e universal (porque os ensinos dos Espíritos foram colhidos de muitas fontes, em muitos lugares, mostrando-se sempre concordantes).